domingo, 12 de junho de 2011

Visita ao Museu Arqueológico do Carste do Alto São Francisco - parte II.

E aí galera, tudo bem com vocês ?
Acho que nós do Núcleo Bambuhy estamos em divida com vocês leitores, não é? Bom, esses últimos dias foram meio tumultuados e por isso atrasamos com as postagens. Mas agora chega de enrolar e vamos ao que interessa: Visita ao Museu Arqueológico do Carste do Alto São Francisco - parte II.
O Museu do Carste fica localizado na entrada da cidade de Pains, é um local de fácil acesso e que vale a pena conhecer.  O Museu é de grande importância, pois abriga o material proveniente de pesquisas arqueológicas na região do Carste do Alto São Francisco e os expõe gratuitamente ao  público.
Foto do  Museu : 

A própria sede do MAC já é um edifício histórico. É Antiga sede de uma fazenda construída em fins do século XIX que foi toda readaptada para receber o Museu.
O museu é dividido por salas, onde são expostos os diversos materiais encontrados na região. Junto de cada material há o seu nome, descrição, local onde foi encontrado e a data aproximada em que foi construído.
Logo na entrada do Museu já demos de cara com essas duas maravilhas:
  
                        Ponta de flecha, tembetá e um machado polido.


Colar Indígena - Pingente de madrepérola feito sobre concha de marisco. 500 a 2000 anos antes do presente. Achado na Caverna da Cerâmica Pintada,Pains.
Nas paredes do Museu foram afixados textos explicativos sobre temas muito interessantes, como história e arqueologia da região


 Pontas de flechas:

                                              Pontas de flechas.
Alguns materiais em especial se destacam pela beleza e pelo cuidado com que foram construídos.

 Artefatos polidos: machados, mãos de pilão e percurtor.


                                                    Fragmentos de vasos.

Cerâmica de 500 a 2000 anos antes do presente.Achado na divisa de Córrego fundo e Pains.


Recipiente utilizado para cobrir urna funerária. Iguatama,500 a 2000 antes do presente.
O museu ainda conta com uma sala que simula uma caverna e outra utilizada para palestras e para passar vídeos sobre arqueologia nacional.

Amostras para análise. Posteriormente poderão fazer parte da exposição.


Possivelmente a peça mais bonita do MAC, este machado é a menina dos olhos do museu. Foi encontrada na zona rural de Iguatama –MG.
Antes de terminar, nós do Núcleo Bambuhy gostaríamos de deixar registrados dois agradecimentos especiais: ao professor Pablo Lima, que gentilmente nos convidou a fazer parte do grupo de visitantes por ele coordenado; e ao Gilmar Pinheiro, que vem realizando um trabalho excepcional como diretor do MAC e que fez de tudo para que nossa visita fosse o mais proveitosa possível. Valeu Pablo, valeu Gilmar!
Pessoal, é isso aí. Museu é um lugar muito importante, mas que às vezes as pessoas não dão o seu devido valor. Ter um museu tão bem estruturado em nossa região e tão próximo de nós é um benefício imenso e que deve ser desfrutado. A nossa sugestão é que vocês, leitores, visitem o museu, temos certeza de que vocês serão muito bem recebidos.
 Para conferir maiores informações sobre o MAC, acessem: http://mac-asf.blogspot.com/
Até a próxima!